Sexta-feira, Julho 19, 2024
spot_img
spot_img
spot_img
InícioNotíciasGoverno vai gastar 100 milhões USD na construção de 430 km de...

Governo vai gastar 100 milhões USD na construção de 430 km de estrada de terra batida no Kuando Kubango – Ajuste directo prevê nova tecnologia com estabilizador de solos

O Governo vai gastar 100 milhões de dólares na construção de 430 quilómetros de estrada de terra batida no Kuando Kubango. O ajuste directo autorizado pelo Presidente da República prevê a implementação de uma nova tecnologia, recorrendo a um estabilizador de solos “com custos e benefícios para a economia nacional” e com aprovação do Laboratório de Engenharia de Angola. Cada km vai custar pouco mais de 232 mil USD, de acordo com as contas feitas pela imprensa.

O despacho presidencial prevê quatro empreitadas e respectiva fiscalização. A primeira diz respeito à EN 295, troço Dirico/Mucusso, numa extensão de 76,6 km (14,4 mil milhões de kwanzas). A segunda empreitada destina-se à EN 170, troço Mucusso/Licua, com a extensão de 120 km (22,4 mil milhões kz).

Já a terceira empreitada pressupõe uma extensão de 124 km, na EN 170, troço Licua/Luengue (22,7 mil milhões kz), e a quarta e última obra contratada destina-se à EN 170, troço Luengue/Mavinga, com a extensão de 110 km (20,1 mil milhões kz).

A estes valores acrescem os da fiscalização das quatro obras públicas, num total de quase 4 mil milhões de kwanzas.

O documento é omisso quanto ao nome da empresa responsável pelas empreitadas e da que fará a fiscalização das obras.

Diz o diploma que foi considerada “a importância que essas estradas representam para a região Sul/Leste do País, a sua contribuição para o crescimento económico daquela região, o incremento significativo da produção agrícola, pecuária, o aumento da produção do milho, arroz, bem como a facilitação do acesso às escolas, postos de saúde e demais serviços da Administração Local do Estado”.

O Chefe de Estado delega competência ao Ministro das Obras Públicas, Urbanismo e Habitação para a prática dos actos decisórios e de aprovação tutelar, bem como para a verificação da validade e legalidade de todos os actos praticados, incluindo a celebração e a assinatura dos contratos.

O Ministério das Finanças é autorizado a proceder à inscrição da despesa no PIP/OGE 2023 e a assegurar os recursos financeiros necessários à implementação dos projectos.

Fonte: NJ

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- PUBLICIDADE-spot_img
0FãsCurtir
SeguidoresSeguir

MAIS LIDAS