Domingo, Julho 14, 2024
spot_img
spot_img
spot_img
InícioEconomiaZEE Luanda-Bengo melhor Zona Económica Especial de África

ZEE Luanda-Bengo melhor Zona Económica Especial de África

A Zona Económica Especial (ZEE) Luanda-Bengo foi distinguida como a melhor do continente africano em 2022, nos domínios do digital, tecnologia e marketing.

O prémio foi atribuído pela AEZO – Organização das Zonas Económicas Africanas – durante a sétima edição da Cimeira Anual que decorreu na cidade nigeriana de Abuja, de 30 de Novembro a 2 de Dezembro deste ano, deu a conhecer, ontem, a ZEE, através de uma nota enviada ao Jornal de Angola.

A distinção é apresentada, oficialmente, hoje, em Luanda, pelo presidente do Conselho de Administração da Zona Económica Especial E.P., António Henriques da Silva, numa cerimónia que vai marcar, em simultâneo, a celebração de fim-de-ano dos colaboradores da ZEE.

Na nota, a ZEE E.P. considera que a conquista reflecte o reconhecimento internacional pela excelência do desempenho de todos os colaboradores numa área onde a criatividade e inovação são fundamentais.

“O prémio da AEZO confirma, igualmente, que o rumo traçado pelo Conselho de Administração está em consonância com o futuro no qual as novas tecnologias, e a capacidade de as operar com eficácia serão um instrumento decisivo para alcançar resultados num mercado cada vez mais competitivo e exigente”, refere.

De acordo ainda com o documento, este galardão confirma, aliás, a qualidade do caminho percorrido ao longo da existência da Zona Económica Especial Luanda-Bengo com projectos que geraram mais de 6 mil novos empregos, na sua maioria preenchidos por cidadãos nacionais.

A redução das importações, o aumento das exportações e a captação de investimento estrangeiro estão bem reflectidos na produção crescente da Zona Económica Especial – apesar da crise económica internacional – com a implementação, nos últimos dois anos, de projectos de investimento oriundos da Alemanha, Eritreia, Índia, Rwanda, Líbano e Angola, que representam um investimento superior a 725 mil milhões de kwanzas (cerca de mil milhões de euros) há cinco anos.

Os empreendimentos da ZEE abrangem sectores produtivos como lacticínios, massas e outros bens alimentares (incluindo farinha de trigo, farinha de sêmola, salsichas, bolachas e charcutaria), detergentes, vestuário, utensílios plásticos, central termoeléctrica e dispositivos eléctricos, siderurgia, materiais de construção e exploração de centros de inspecção automóvel.

O Conselho de Administração tem a ambição de fazer evoluir, cada vez mais, a ZEE, adaptando-o ao funcionamento de mercados regionais e continentais altamente competitivos. Está, entretanto, consciente de que isso “só será alcançável se formos cada vez mais eficientes, produtivos, inovadores e  prestarmos serviços de excelência a todos os que nos procuram com o intuito de se instalarem na Zona Económica Especial (…)”.sim, contribuir para o crescimento da economia angolana”.

Fonte: JA

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- PUBLICIDADE-spot_img
0FãsCurtir
SeguidoresSeguir

MAIS LIDAS