terça-feira, abril 16, 2024
Home > Notícias > Preços dos Materiais escolares disparam nos principais mercados

Preços dos Materiais escolares disparam nos principais mercados

Faltando apenas dois dias para o início do ano lectivo 2023-2024, as famílias angolanas estão em plena corrida à compra de materiais escolares, mas muitas foram surpreendidas com aumentos de preços em relação ao ano passado que provocam dores de cabeça.

À imprensa fez uma ronda pelos mercados do Kikolo, Hoji-ya-Henda e São Paulo, onde foi possível verificar que os preços já não são os mesmos com relação ao ano passado, nalguns casos há aumentos quase para o dobro.

Por exemplo, uma embalagem de cadernos grandes que no ano passado custava 3.000 kwanzas, agora está a custar 4.500 kz, o médio passou para 3.500 kz a 4.000 kz, antes era 2.500 kz e a embalagem de cadernos pequenos que eram vendidos a 700 a 800 kz, agora estão a ser comercializados no valor de 1000 e 1500 kz.

A embalagem de lapiseiras antes era 900 kz agora é 1.100, a de lápis que custava 1000 kz, passou para 1.300 kz, o conjunto de réguas que era 500 a 600 kz, passou para 1.000kz

Quanto às batas, uma de criança dos cinco aos sete anos, que custavam a 700 kz, actualmente está a custar 1.000 a 1.200 kz, a bata para adolescente era 2.000 kz, estão a vender a 3.000 ou 3.500 kz.

As pastas também subiram. As grandes eram a 4.000 kz, agora estão a vender-se entre 6.000 a 7.000 kz, a pasta pequena está no valor de 3.000 a 3.500 kz, antes era 2.000 a 2.500 kz.

As vendedoras dizem que subiram os preços porque, por exemplo, uma caixa de cadernos que compravam a 27 mil kz, agora estão a comprar 32 mil kz, tirando apenas um lucro de 3.000 kz, quando antes conseguiam 5.000 a 6000 kz.

“Antes o preço da caixa de cadernos era mais acessível, agora estamos a comprar a 32 mil kz e o nosso lucro também reduziu, às vezes numa caixa tirávamos 5.000 a 6.000 kz, agora o lucro de uma caixa não passa dos 3.000 kz”, afirma a vendedora Josefina Jacinto.

É já na próxima segunda-feira, 04 de Setembro, que os alunos regressarão às aulas, após dois meses de férias E isso devia ser um motivo de satisfação para os encarregados de educação, mas estes manifestam-se agastados com a subida considerável dos preços dos materiais escolares.

Ntuma celestino Paulo, pai de dois filhos em idade escolar, disse à imprensa que este ano gastou muito dinheiro só com as compras dos materiais escolares das crianças, pois, no ano passado havia gastado muito menos.

“Os preços estão muito puxados, no ano passado só gastei 20 mil kz, mas este ano, já gastei mais de 30 mil kz só em compras de materiais e ainda não terminou”, disse.

E Maria Pedro lamenta pelo facto dos preços subirem muito, dizendo que apenas comprou os cadernos para as crianças, os filhos mais velhos vão usar folhas A4 e A3.

“Apenas as crianças usarão os cadernos, para os mais crescidos comprei resmas de folhas A4 e A3, para ser mais económico”, explicou.

O acto central de abertura do ano lectivo 2023-2024, vai decorrer na província de Malanje, nesta-feira, 01 de Setembro, segundo o Ministério da Educação (MED), já estão preparadas 1.854 salas de aulas para atender mais de 290 mil alunos matriculados em todos os subsistemas de ensino.

O primeiro trimestre deste ano escolar, de acordo com o MED, terá início no dia 04 Setembro e termina em 15 de Dezembro de 2023, o segundo trimestre vai começar no dia 03 de Janeiro até 28 de Março de 2024, e, o terceiro trimestre por sinal o último, terá início no dia 08 de Abril e no dia 31 de julho encerra o ano lectivo 2023-2024.

Fonte: NJ

Please follow and like us:

Leave a Reply

Wordpress Social Share Plugin powered by Ultimatelysocial