Quinta-feira, Julho 18, 2024
spot_img
spot_img
spot_img
InícioNotíciasNavio apreendido com cocaína “não estava sob protecção da Polícia Fiscal angolana”

Navio apreendido com cocaína “não estava sob protecção da Polícia Fiscal angolana”

Um navio de bandeira angolana ‘furtado’ do Porto de Luanda e reencontrado com 3,3 quilos de cocaína na Espanha. A história digna de roteiro de Hollywood mereceu a atenção das autoridades policiais angolanas, que reagiram com um comunicado a expor a sua versão dos factos.

No passado dia 12 de Janeiro, o site !sto é Notícias publicou a notícia que viria ter destaque devido a dimensão dos factos. No dia seguinte, as autoridades angolanas, reagiram.

Primeiramente, a Polícia Nacional de Angola (PNA) e o Serviço de Investigação Criminal (SIC) desmentem que o navio denominado “Simione”, de nacionalidade angolana, matrícula 0022-26/29/SIM/2010, IMO 9248978, tenha sido ‘furtado’.

Segundo o comunicado enviado, o mesmo “nunca esteve sob custódia da Polícia Fiscal Aduaneira, pois não impedia sobre o navio nenhuma interdição de saída dos espaços marítimos sob soberania e jurisdição do Estado Angolano”, contrariando assim, a informação de que o Simione terá sido “dado como ‘furtado’ em Novembro do ano passado, quando se encontrava sob a protecção da Polícia Fiscal angolana”.

Após o suposto furto, a publicação relata que o navio terá atracado nos portos do Gabão, Senegal e Espanha, onde foi apreendido. No seu penúltimo destino, o Senegal, o Simione terá “sido fretado por uma organização galega ligada ao narcotráfico, com a finalidade de o enviar para um ponto indeterminado do Atlântico, como se fosse uma das centenas de barcos pesqueiros galegos”.

A notícia aponta ainda que a quantidade de cocaína apreendida no Simione, nas Ilhas Canárias, “assemelhar-se à capturada pelo SIC, no Porto de Luanda, em Setembro de 2022, e cujo destino até hoje as autoridades angolanas não souberam explicar publicamente”.

Informação esta contrariada pela nota conjunta da PNA e do SIC, que alegam que a situação que envolve o navio Simione, “não tem qualquer relação com o processo referente a apreensão de 164Kg de droga do tipo cocaína, no Porto de Luanda, em Agosto de 2022″.

Ainda segundo o comunicado, a droga apreendida “já foi incinerada no dia 24 de Novembro do mesmo ano, em acto presenciado por Magistrados do Ministério Público designados para o efeito, nos termos da Lei”.

Entretanto, as autoridades policiais angolanas não desmentem a apreensão da embarcação no Reino da Espanha e afirmam que “estão a acompanhar com a devida atenção o evoluir do processo-crime, no âmbito da cooperação existente com as congéneres espanholas”, informa a nota.

Fonte: CK

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- PUBLICIDADE-spot_img
0FãsCurtir
SeguidoresSeguir

MAIS LIDAS