quinta-feira, abril 18, 2024
Home > Desporto > Emílio Nsue denuncia corrupção e desorganização na sua selecção: «No jogo com a Nigéria nem tínhamos uniforme pronto»

Emílio Nsue denuncia corrupção e desorganização na sua selecção: «No jogo com a Nigéria nem tínhamos uniforme pronto»

Após ter sido suspenso pela Federação de Futebol da Guiné Equatorial por razões de indisciplina, o atacante de 34 anos Emílio Nsue , artilheiro do CAN’2023, não perdeu tempo e veio a terreiro emitir a sua versão dos factos, que provavelmente marcará o seu fim de carreira na selecção equato-guineense.

Em declarações à uma live nas redes sociais, o experiente atacante de 34 anos e capitão da selecção da Guiné Equatorial, revelou casos de corrupção e desorganização extrema no órgão reitor do futebol daquele país.

Eis o resumo do extrato das declarações do jogador em live nas redes sociais, partilhada pelo site ‘Futebol Atualidade’:

– A federação desviou + 1 milhão de euros ganhos graças ao CAN 2022 nos Camarões, ninguém sabe onde está o dinheiro.

– A federação tem uma dívida não paga com o hotel Malabo onde a seleção nacional vai a cada concentração e pediram aos jogadores que abandonassem o local.

– horas antes da partida contra a Nigéria, no CAN 2024, os jogadores não tinham uniformes prontos.

– Os equipamentos utilizados na seleção nacional são pagos pelos jogadores e não pela federação.

– O presidente da federação da Guiné Equatorial não quer se envolver nos problemas diz que “não é ministro do esporte” mas está sempre presente para tirar dinheiro da federação.

– Nsué disse que a Federação Equato-Guineense é amadora e tentou mete-los a jogar contra a seleção de aragon durante a preparação para o CAN, mas aragon é uma região da Espanha e não é um país se quer.

– Na véspera do jogo contra a Guiné houve problemas. A atmosfera não era boa nem negativa. Após a derrota, um membro da equipe Dany “Benzema” disse “Vamos colocar uma música. »

– A federação mente ao dizer que o dinheiro dado pelo presidente, será renovado para o futebol local, resultado: Campeonato paralisado à muitos meses.

– A federação ameaça certos jogadores locais e tira-lhes dinheiro.

– País organizador da CAN em 2015, os motivos são agora catastróficos.

– Quando os jogadores querem ceder vagas às suas famílias para jogos de selecção, a federação recusa-se a fazê-lo gratuitamente, pelo que os jogadores têm sempre de pagar do seu próprio bolso.

– Nsue também falou sobre a corrupção da federação da Guiné Equatorial.

– Ele não recebeu nenhum parabéns da seleção pelo troféu; eles foram ingratos com ele e os marfinenses ficaram muito mais gratos do que seus próprios dirigentes.

– O fisioterapeuta “Elias” nunca fez massagens em 12 anos de seleção e sempre aplicava a mesma quando estava com dor (ibuprofeno). Isso seriam toupeiras não qualificadas para fazer parte da equipe.

– A federação ameaçou Juan Micha, o seleccionador da selecção nacional, de o despedir caso não admitisse que Nsué e Edu são elementos perturbadores da Seleção.

– Expulsaram-no( Juan Micha) sem qualquer explicação, humilharam-no no mundo inteiro.

– O governo, o presidente da república e o vice-presidente sempre apoiaram a escolha. É o presidente da federação quem só causa problemas.

Fonte: AngoMagazine

Please follow and like us:

Leave a Reply

Wordpress Social Share Plugin powered by Ultimatelysocial