terça-feira, maio 21, 2024
Home > Emprego > Governadora de Luanda exonera director dos RH do GPL por ″dificultar″ processo de repetição das provas de acesso às vagas da função pública

Governadora de Luanda exonera director dos RH do GPL por ″dificultar″ processo de repetição das provas de acesso às vagas da função pública

A governadora provincial de Luanda, Ana Paula de Carvalho, exonerou esta sexta-feira, 22, o director dos Recursos Humanos do Governo Provincial de Luanda (GPL), Moisés David Milagre Loké, por este ter dificultado e faltado com a verdade no processo de repetição das provas de acesso às vagas da função pública do GPL, que desencadeou, durante dois dias, várias manifestações de milhares de concorrentes em frente à sede do GPL.

“Não gostei nada do que ele fez e falou à Rádio Luanda sobre o concurso público. Na verdade só dificultou a realização de todo o processo, por isso o exonerei”, disse em conversa com os jornalistas a governadora.

Ana Paula de Carvalho pediu desculpas a todos os candidatos pelos transtornos causados nos dois dias críticos e assegurou que já foram tomadas medidas para que a situação corra da melhor maneira possível nos próximos dias.

Esta quarta e quinta-feira, vários municípios e distritos urbanos da província de Luanda não realizaram as provas como estava agendado, o que criou uma série de manifestações em frente às administrações municipais e na sede do Governo Provincial de Luanda, com milhares de jovens concorrentes insatisfeitos.

Uma fonte do GPL confidenciou o Novo Jornal que as manifestações constantes sobre a realização deste concurso público não caíram bem na estrutura central do partido no poder, o MPLA, e na Presidência de República, que terá chamado esta manhã a governante ao palácio.

Para sanar eventuais constrangimentos, o GPL assegura em comunicado que foi prontamente elaborado um novo cronograma, e inclui a repetição das provas os dias 27, 28 e 29 de Julho, garantindo que desta vez as provas correrão sem sobressaltos.

De recordar que, esta quinta-feira, o agora exonerado director do gabinete dos Recursos Humanos do Governo Provincial de Luanda, e presidente dos júris, David Loké, disse à Rádio Luanda que os demais municípios não realizaram as provas por terem sido registados atrasos na distribuição dos exames.

“A realização dos exames dos recursos nas escolas condicionou a realização das provas de ingresso às vagas do GPL ontem (quarta-feira) “, justificou o responsável, assegurando que as provas seriam repetidas na quinta-feira, o que também não aconteceu.

Para este concurso público de acesso à função pública em Luanda o GPL tem disponíveis mais de 2.000 vagas e estão inscritos mais de 150 mil candidatos.

De lembrar que estas provas serão repetidas após decisão do Tribunal de Contas que entendeu que houve em 2021 várias irregularidades.

Please follow and like us:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Wordpress Social Share Plugin powered by Ultimatelysocial